Cerimônia de Cacau.jpeg

CERIMÔNIA DE CACAU

“Quando o ser humano se esquecer como se cuida da árvore, Ixicacau voltará do coração da floresta para ensinar novamente a humanidade como Amar”.

 

 

A palavra cacau é derivada do olmeca e das línguas maias – kakawa. Era utilizado pelas civilizações da mesoámerica como os Maias, Astecas, Toltecas e Olmecas principalmente como fonte de alimento. Era considerado um alimento sagrado, fazendo parte dos mitos destes povos.

 

Utilizado principalmente na forma de uma bebida espumosa, era considerado o néctar dos Deuses, trazendo vigor, energia e poder. Seu nome científico é Theobroma Cacao, que significa o Manjar dos Deuses. O cacau era tão valioso para esses povos que também foi utilizado como moeda.

 

Quando chamamos esta medicina de Deusa, estamos chamando por IxCacao, a Deusa Maia do cacau, que tinha a responsabilidade divina de banir a fome e garantir a segurança de seu povo. Inicialmente, era uma Deusa da terra em uma sociedade matriarcal, muito amada pelo povo como uma deusa cheia de amor, compaixão e abundância.

PROXIMA CERIMÔNIA

29 de Janeiro - CERIMÔNIA DO CACAU 2022.jpg

Porém, com a queda de vibração que o planeta passou que deu início ao patriarcado, esta Deusa foi levada para longe dos campos e forçada a se casar com o Deus do comércio, assim, suas sementes foram transformadas em moeda e seu povo não podia mais beber de sua medicina, que se tornou uma iguaria somente para os aristocratas.


Originalmente o cacau cerimonial é feito a partir da torra da semente selvagem. Quanto menos processado, mais ele tem antioxidantes. A partir deste subproduto é feito o "chá de cacau", que por sua vez, através da nossa intenção e ritualística, promove a liberação energética e de várias substâncias químicas naturais do corpo, como serotonina e dopamina


Diferente de outras medicinas, o Cacau não possui efeitos alucinógenos. Ele trabalha em campo sutil e seu propósito é reequilibrar as energias dentro do corpo e restaurar a boa saúde.


É diurético, estimula produção de dopamina e endorfinas e atua diretamente no coração. Em campo físico, ele ativa a circulação sanguínea e é ótimo para a saúde cardiovascular, o que no campo sutil influencia a ação do campo do chakra cardíaco, promovendo amor, ânimo, abertura e clareza.

Substancias e Efeitos do Cacau

Teobromina –  Sensação revigorante, energia estimulante e que traz aterramento. Propriedades vaso-dilatadoras e efeito diurético.

Anandamida – Ananda – bem aventurança, estado de graça, extase, alegria divina. É um neurotransmissor canabinoide endógeno, o nosso corpo produz, e traz sensação de bem estar. Só é encontrado em uma planta, o cacau.

• Feniletilamina (PEA) - instigador químico da sensação de euforia de quando estamos apaixonados. Conhecida como Molécula da alegria. É produzida pelo corpo humano e está  presente no cacau. Afeta também positivamente hormônios relacionados ao prazer e a excitação, como a dopamina.

• Triptofano, responsável pela produção do neurotransmissor serotonina, conhecido por ser o “hormônio da felicidade”. A setoronina é responsável pelo humor, a sensação de euforia. Na falta dessa molécula podem se manifestar depressão e estados de ansiedade. A distribuição de triptofano tem o efeito de atenuar esses sintomas.

• Magnésio – Presente em mais de 300 processos metabólicos no organismo, o magnésio é muito importante e traz um efeito de relaxamento muscular. Lembra que o coração é um músculo vital e trabalha sem parar, contraindo e relaxando. Sem tensão, sem estresse, surge a vontade de respirar de forma mais profunda e o que nos traz para o momento presente.

• Arginina – aminoácido presente no cacau e conhecido como “viagra da natureza”. Faz com que flua mais sangue nos órgãos sexuais e no coração. Ajuda também na eliminação de toxinas do corpo.

• Inibidor da MAO – efeito de aumentar os níveis de neurotransmissores  no corpo e antidepressivo, facilitam uma postura jovial perante a vida.

Contra-indicação: 

Pessoas com pedra nos rins, pressão alta, se estiver em tratamento com antidepressivos que tenham inibidor de MAO, arritmia, Gestantes (nos 3 primeiros meses), lactantes, epilepsia, quimioterapia (verificar com o médico)